MAIS INFORMAÇÃO

A primeira orquestra geração teve início, em 2007 na Escola Miguel Torga por iniciativa conjunta da Câmara Municipal, da Escola de Música do Conservatório Nacional e da Fundação Calouste Gulbenkian (Programa EQUAL). Os resultados positivos quer ao nível do envolvimento das escolas e dos parceiros, quer pela participação das crianças, jovens e suas famílias levou à sua disseminação a outros territórios do concelho da Amadora e a outros municípios. 

Surge, assim, o projeto Orquestras Sinfónicas Juvenis, através de candidatura submetida pela Área Metropolitana de Lisboa e aprovada em 2009 no âmbito do Quadro de Referência Estratégico Nacional (QREN), Programa Operacional de Lisboa (POR Lisboa), que permitiu a criação do um segundo núcleo no Agrupamento de Escolas Almeida Garrett. Em 2011, foi criado o terceiro núcleo da Orquestra Geração no Agrupamento de Escolas da Damaia. 

Estruturado em três anos de implementação, desenvolve-se num primeiro ano com os instrumentos de corda, no segundo ano entram os sopros e no terceiro entram os instrumentos de percussão. O programa assenta numa metodologia de ensino instrumental em pequenos grupos, no trabalho em naipes e em orquestra. Os alunos têm uma carga horária de 7 horas semanais de atividade da orquestra e as aulas decorrem após o período das atividades letivas e de enriquecimento curricular. 

A realização de apresentações em concertos assim como os estágios, constituem momentos privilegiados de valorização da diversidade social e cultural, troca de experiências como proporcionam contactos com novos contextos. Constituem, igualmente, estratégias importantes para a motivação dos alunos e reforço das suas competências de socialização.

O crescente número de alunos que passaram a integrar a Orquestra, o registo de mudanças significativas ao nível do seu comportamento e melhorias ao nível dos resultados escolares associados ao crescente interesse e visível acompanhamento demonstrado pelas famílias, comprovam o sucesso deste projeto. 
Efetivamente, a abordagem inovadora do projeto Orquestra Geração e valores subjacentes ao mesmo, potenciou a possibilidade de se criar, na Amadora, um grupo de jazz (GeraJazz) formado por alguns dos alunos mais antigos do projeto e a Orquestra Municipal Geração Amadora (OMGA).

A Orquestra Geração foi considerada uma boa prática europeia. A Finlândia implementou um programa similar, que contou com o suporte da Câmara Municipal da Amadora e da Escola de Música do Conservatório Nacional. O Município foi vencedor na categoria "Quadro de Excelência" e recebeu o prémio na entrega dos “Prémios de Reconhecimento à Educação 2010/11”, patrocinado pelo Ministério da Educação e Ciência.

Os alunos da Orquestra contam já no seu currículo com várias atuações concerto de ano novo, concerto do dia da Europa, Concerto da Paz e Compreensão Mundial concerto “dias da Música” “dia Mundial da Criança”.